Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

domingo, 8 de agosto de 2010

Dia dos Pais

Hoje fala-se muito em igualdade de direitos, mesma atuação para homens e mulheres na sociedade, mas o comércio de todo o país, desmente esta história cada vez que apresenta as estatísticas de vendas para o dia dos pais.

São sempre menores do que as do dia das mães, para fazer uma comparação mais óbvia.

Para os pais os presentes em geral são de menor valor, mais simples do que os das mães. Se já forem mais velhos pior ainda, passam em geral a lembrancinhas.

Isto, na minha opinião confirma o que muitos teóricos por aí vivem pincelando. Em matéria de comportamento ainda estamos bem mais próximos da pré história do que da modernidade do mundo organizacional . Homens, os provedores, os líderes da caverna, tem que provar que podem dar o que é melhor. As crias e as mães, nesta hora não se importam de parecerem menos aptos!

Claro que isto no que se refere à data comercial em si.

Na verdade, pieguice à parte, dia dos pais é todos  os dias. Aliás dia das pessoas, é todos os dias. Mas vá lá, que a criação de dias especiais foca na oportunidade de concentração da homenagem para alguém ou algo específico.

E entre os alguéns, os pais tem enorme importância. E cada vez mais!

Hoje, por força das circustancias, dividem as tarefas de criação dos filhos. Ninguém estranha mais ao ver o pai trocando fraldas, dando banho, levando e buscando na escola. Ainda meio desajeitados, mas isso é uma questão acho que fisiológica, diferenças neuro motoras, sei lá!

Hoje, a frase: espere até seu pai chegar! já não é tão constante, porque o medo aos poucos foi dando lugar ao respeito, e quando se respeita, quando alguém chegar, conversa-se, faz-se acordos....

Pena que o respeito tá indo pro brejo! Não só entre pais e filhos, mas na sociedade em geral.

Mas todos nós temos na lembrança a figura de um pai.
Aqui quero esquecer os que não valem a pena, sei que existem.

Quero citar os austeros, os confusos, os carinhosos, os amigos, os controladores...

Cada um tem seus motivos para agir assim ou assado, mas lá no fundo do coração, sabemos que há um amor imenso que nunca desaparece, que cresce a cada sucesso do filho e que vira uma montanha nos eventuais fracassos.

Nós, filhos levamos muito tempo para compreender muitos deles, mas quase em 100% dos caso, depois de alguma idade, especialmente quando os tornamos pais e mães também, vislumbramos seus motivos e seus limites. Aí dá aquela sensação no peito de descoberta, de vontade de ir lá e dizer: nossa! você tinha razão!

Fábio Jr e sua música, mostra bem isso. Por mais que as pessoas o chamem de brega, poucos conseguem segurar as lágrimas ao ouvir aquilo.

Para os meninos, os pais são super heróis, capazes de qualquer proeza. Imitam seus trejeitos, suas falas. No final da adolescência são "chatos", estão velhos. E olha que em geral nesta fase os pais estão na faixa dos 40! Quando se tornam pais, olham para o "velho" e se perguntam lá no íntimo: Como você conseguiu?

Para as meninas são o príncipe encantado! O homem mais bonito e forte da face da terra! Na adolescência elas também se rebelam contra o controle, mas exatamente como eles, são movidas apenas por ciúme. Em geral, na idade adulta, tornam-se amigas, reconhecem seus atos como positivos.

Meu pai já se foi há13 anos! Mas o que ficou foram as cenas de brincadeira, carinho e muitas lições de luta e coragem. Ficou principalmente a certeza da capacidade de superação, de um homem simples que galgou degraus que lhe diziam impossíveis.

Outro pai importante também já se foi há 8 anos. Meu ex sogro. Sujeito sério, muito culto e cheio de regras. Nossa! como ele me aguentou na adolescência! E como me amou na idade adulta, como mãe de seus netos! Hoje, não posso ouvir uma área de ópera que meus olhos se enchem de lágrimas pensando nele. Mas também sorrio lembrando de meu esforço em fazê-lo gostar da ópera-rock Tommy!

Hoje, assisto meu filho iniciando a "carreira" de pai. Dou todos aqueles conselhos que todos recebem, com a certeza de que só daqui a muitos anos ele os compreenderá. Mas é lindo ver o carinho dele com a filha. E uma delícia sair com ela, escondido dele pra comprar um presente!

O que gostaria aqui, é de convencer a todos os filhos que lerem este artigo a não perder nunca a oportunidade de demonstrar afeto e respeito àquele que o fez vir ao mundo e moveu céus e terra pela sua saúde e segurança. Ele quer vê-lo feliz. Mas precisa sê-lo também. E o momento é agora, hoje, sempre. Pois depois que eles se vão, só nos resta, ao nosso modo, dirigir-lhes nossos pensamentos e sentir uma vontade louca de seu abraço e seu beijo. Não se deixem arrepender depois. Aproveitam a data, desfaçam-se de ideologias radicais, vejam-na apenas como uma oportunidade de voltar a ser criança e pendurar-se no pescoço de seu velho!

Aos meus amigos pais, os parabéns.

Feliz dia dos Pais`prá todos!  

6 comentários:

  1. O meu pai já se foi faz 05 anos e ele faz muita falta. Era uma pessoa extremamente simples, nos criou (eu e meu irmão) com muita dificuldade, ao lado da minha mãe passou por grandes apuros. Fomos criados sempre no interior, meu pai trabalhava em fazenda e lá também residíamos, não era raro as vezes que ele era demitido de uma fazenda aí tínhamos que nos mudar para qualquer outra que ele encontrasse para trabalhar, íamos nós, deixando para trás amigos de escolas e conhecidos. Vivemos a nossa infância e adolescência toda assim, hoje numa cidade, e depois não se sabia quando, em outra cidade. Meu pai muito simples, o dia e a noite para ele já bastava, não tinha grandes ambições na vida e nenhum luxo. Lutando ao lado da minha mãe conseguiu nos criar, 03 anos antes dele partir, conseguiu construi com muita dificuldade, uma casinha e assim pudemos estabelecer residência fixa e ali permanecer. Depois de muito sacrifício ele se foi, mas nos deixou onde morar. Infelizmente ele não pôde nos ver formando (eu e meu irmão), quando ele se foi eu estava na faculdade e meu irmão acabara de entrar. Hoje atuo na área jurídica, meu irmão também. É uma pena que ele não esteja aqui para nos ver triunfar e com certeza iria sentir orgulho, sentir que valeu a pena!!!

    ResponderExcluir
  2. Tens razão, pai é pra todos os dias. Ao menos que os que assim querem ser.

    ResponderExcluir
  3. Linda homenagem querida amiga. Lembrei do meu que há muito se foi. Ele era daqueles austeros do lema: Faço o que eu digo, não faça o que eu faço. Odeio este ditado até hoje. Mas sempre o amei e me enrosquei nele como uma gata quando pude. A maior demostração de amor que ele me deu foi depois que sai de casa, após o casamento ele chorou por uma semana e os cuidados e amor que teve com minha primeira filha, se derretia com ela... Saudades!

    ResponderExcluir
  4. Ao fim dessa leitura é impossível não lembrar do próprio pai e não se emocionar. O meu está com mais de 80 anos e vive longe de mim, pois mora no Rio com meu irmão. Nos vemos pouco, mas nos falamos mt por telefone, sempre. Seu texto me fez refletir tb sobre a relação dos meus filhos c/meu marido. Nosso filho mais velho estava morando fora há dez anos. Faz um ano q ele voltou a viver conosco e ainda estamos comemorando isso.
    Lembrei de um filme q assisti há pouco tempo chamado "Quando viu seu pai pela última vez ?" É um pouco triste, mas é lindo de se ver.

    ResponderExcluir
  5. Muito legal o seu blog! achei interessante, post legal!
    Se puder passe pelo meu blog também!
    http://vainafequeda.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Tá certo. Pai é pai, mas mãe é MÃE!!!!!

    ResponderExcluir